ONU quer levar o brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz ao Congo

Image

ONU quer levar o brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz  ao Congo

A experiência prévia à frente de operações militares no Haiti fez o general de divisão brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz ser convidado pela ONU para comandar sua maior missão de paz: a Monusco, na República Democrática do Congo.
Embora se torne responsável por uma tropa de mais de 20 mil capacetes azuis, sua tarefa mais delicada será conduzir uma unidade militar criada há menos de um mês, de uma forma sem precedentes na história das missões da paz da ONU

A “Brigada de Intervenção” foi estabelecida com uma “autorização especial” da cúpula da ONU para adotar “qualquer medida necessária” para derrotar o M23 (Movimento 23 de Março), o FDLR (Forças Democráticas para Libertação de Ruanda) e o LRA (Exército de Resistência do Senhor), e ao menos outros quatro grupos rebeldes locais e internacionais que operam especialmente no leste do país.
Na prática, isso significa que o Departamento de Missões da Paz da ONU criou uma estrutura para possibilitar a realização de ofensivas militares mais robustas no âmbito de uma missão de paz convencional, sem ferir a legislação e os princípios das Nações Unidas.
A brigada, sediada na cidade de Goma, é composta por dois batalhões de infantaria, um de artilharia, um de forças especiais e uma companhia de reconhecimento. Santos Cruz e um grupo de oficiais brasileiros comandarão um contingente formado principalmente por soldados africanos.
“Há uma grande variedade de grupos rebeldes no leste do país. Eu me considero pronto para enfrentar até o pior cenário. O objetivo será aliviar o sofrimento da população”, disse Santos Cruz à BBC Brasil.
A escolha dele foi motivada pelo papel que exerceu como chefe militar da missão de paz no Haiti entre os anos de 2007 e 2009, segundo fontes ouvidas pela BBC Brasil.
Na época, o general autorizou seus coronéis e subordinados a planejar e executar ações de força, que finalizaram o processo de desmantelamento de grupos rebeldes e gangues que dominavam a favela de Citè Soleil – o último grande bastião rebelde do país.
Segundo militares ouvidos pela BBC Brasil, assim como seus antecessores, Santos Cruz sofreu grande pressão de diplomatas da ONU para endurecer as ações no Haiti naquela ocasião.
Porém, de acordo com diplomatas do Itamaraty, ele teve versatilidade para balancear o uso da força – fazendo com que as operações em Porto Príncipe atingissem seus objetivos sem descumprir a legislação internacional ou ferir direitos humanos.
Além disso, o general ganhou a confiança do embaixador Edmond Mulet, que à época chefiou a parte civil da Minustah e hoje é o assistente do secretário-geral da ONU para operações de paz.
Ou seja, segundo fontes no Itamaraty, não houve um esforço diplomático brasileiro específico para assumir a missão na RDC, mas um reconhecimento da ONU sobre o papel que o Brasil exerceu na pacificação do Haiti que foi recompensado.
“Trata-se de uma homenagem pelo excelente trabalho que ele desempenhou à frente da Minustah e um novo sinal de reconhecimento internacional à atuação dos militares brasileiros”, disse em entrevista o ministro da Defesa Celso Amorim, que ocupava a chancelaria durante a maior parte da permanência de tropas brasileiras no Haiti.
Santos Cruz já havia sido colocado na reserva quando começou a ser sondado para a missão na RDC. Vinculado atualmente a um órgão civil do governo federal, está sendo trazido de volta à ativa no Exército para assumir o cargo internacional.
Ele disse acreditar que a percepção e a experiência com situações dinâmicas adquiridas no Haiti serão de grande ajuda na RDC. Porém, afirmou que são missões muito diferentes, principalmente em relação ao tamanho do país de 71 milhões de habitantes (o Haiti tem 8 milhões) e da diversidades das forças que disputam o poder.

Advertisements

Líder do Partido Colorado é novo presidente do Paraguai, diz Justiça eleitoral

Image

Contagens iniciais da Justiça eleitoral paraguaia apontam que Horacio Cartes, de 56 anos, líder do Partido Colorado, é o novo presidente do país.
De acordo com os dados preliminares divulgados pelo Tribunal Eleitoral do país, Cartes obteve 45,98% dos votos, frente aos 36,93% conquistados pelo adversário Efraín Alegre, do Partido Liberal.
“O povo paraguaio se pronunciou e nós o respeitamos”, disse Alegre, admitindo a derrota. Em entrevista coletiva, o candidato indicou que apesar de ter perdido a Presidência, seu partido logrou “triunfos importantes nos Estados” – as eleições deste domingo também escolheram novos governadores.
Caso os resultados sejam confirmados, Cartes trará de volta ao poder o Partido Colorado, que governou o Pargauai por 60 anos, até 2008, ano da eleição de Fernando Lugo, deposto do cargo no ano passado.
Pesquisa feita feita por Rita Schlicht
Fonte El País

Estudo vai mapear perfil de refugiados que vivem no Brasil

Image

O governo brasileiro quer aumentar a integração dos cerca de 4,7 mil refugiados de mais de 70 países que vivem atualmente no País, informou nesta quarta-feira o secretário nacional de Justiça e presidente do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), Paulo Abrão. A partir do reconhecimento dessa população, a expectativa é incluir os refugiados, principalmente aqueles em situação de vulnerabilidade, em políticas de proteção social, como as de geração de emprego e renda e qualificação profissional.

Para isso, foi firmado este mês um convênio com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), que coordenará um estudo sociodemográfico para traçar o perfil dos refugiados, solicitantes de refúgio e apátridas – pessoas sem qualquer nacionalidade reconhecida – que vivem no Brasil. O levantamento vai verificar aspectos como locais onde moram, áreas de atuação, impacto econômico de suas atividades no desenvolvimento brasileiro e contribuição cultural e social.

“Esse levantamento vai nos ajudar a identificar e a mapear a vida do refugiado após receber o refúgio. Queremos traçar um perfil, identificar onde e como vivem e quais são suas principais necessidades dentro do nosso próprio País”, disse, ao participar da abertura do 1º Curso de Elegibilidade e Reassentamento, promovido pelo Conare em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

Paulo Abrão acrescentou que os resultados do levantamento, que devem ficar prontos no ano que vem, vão “qualificar a capacidade dos poderes públicos na elaboração de políticas de atendimento e de reconhecimento da condição de refugiado”.

Ainda durante o encontro, o representante do Acnur no Brasil, Andrés Ramirez, destacou que o estudo servirá para aprimorar o programa voltado aos refugiados, na medida em que permitirá maior clareza sobre sua situação no território brasileiro. Ele enfatizou que, entre 2010 e 2012, o número de solicitações de refúgio no Brasil quadruplicou, passando de 550 para 2,5 mil.

Na avaliação de Elias Ferreira, representante da Força Sindical no Conselho Nacional de Imigração, colegiado vinculado ao Ministério do Trabalho, o aumento no número de imigrantes, puxado principalmente pela vinda de haitianos após o terremoto de 2010, não afetou, até agora, a contratação da mão de obra nacional.

“A maioria deles está sendo absorvida em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Norte e no Nordeste. Embora tenha aumentado, o número de refugiados ainda é pequeno se comparado ao total da população brasileira”, disse.

Pesquisado por Rita Schlicht
Fonte de pesquisa : Agência Brasil

Um suspeito é morto,na Grande Área Lockdown

Image

Uma  suspeito é morto, segundo a Grande; Área na Lockdown

A polícia procurou um suspeito na sexta-feira em Watertown, Massachusetts

BOSTON – Um dos suspeitos dos atentados Maratona de Boston foi morto sexta-feira de manhã cedo, depois de liderar a polícia em uma perseguição selvagem que resultou na morte de um policial do campus, enquanto o outro foi procurado em uma caçada humana que fechou grande parte desta área. E o governador Deval Patrick de Massachusetts disse que os moradores de Boston e suas comunidades vizinhas devem “ficar em casa, com as portas trancadas.”

09:32 Polícia de Boston Teriam Fotos de suspeito
09:31 FAA: espaço aéreo sobre Watertown fechada;
09:29 Polícia de Boston Aconselha Moradores para bloquear portas.

Os dois suspeitos foram identificados por agentes da lei como irmãos da Chechénia. O suspeito foi identificado como  Dzhokhar A. Tsarnaev, 19, de Cambridge, Massachusetts, disse um oficial da lei. Aquele que foi morto foi identificado como seu irmão, Tamerlan Tsarnaev, 26.

A caçada para o bombardeio, sobrevive suspeito enviado a região de Boston no aperto de uma emergência de segurança: os moradores da cidade e os arredores foram instados a permanecer dentro de casa, pois, centenas de policiais realizou uma caçada e todos os serviços de transporte público foi suspenso.

Coronel Tim Alben de Polícia do Estado de Massachusetts disse que os investigadores acreditavam que os dois homens foram os responsáveis ​​pela morte do Massachusetts Institute of policial Tecnology e as filmagens de um oficial com o Massachusetts Bay Transportation Authority, autoridade de trânsito da região. “Acreditamos que estas são as mesmas pessoas que foram responsáveis ​​pelo atentado na segunda-feira a Maratona de Boston”, disse ele.

Autoridades disseram que os dois homens eram da Chechênia, uma longa disputa, território de maioria muçulmana no sul da Rússia, que lutaram duas guerras sangrentas nos anos 1990 contra as autoridades russas.

A família viveu brevemente em Makhachkala, capital da região de Daguestão, perto Chechênia, antes de se mudar para os Estados Unidos, disse um administrador da escola lá. Irina V. Bandurina, secretário do diretor da Escola n º 1, disse que a família Tsarnaev deixou Daguestão para os Estados Unidos em 2002, depois de morar lá por cerca de um ano. Ela disse que a família – os pais, dois meninos e duas meninas – tinham vivido no país da Ásia Central do Quirguistão anteriormente.

Ambos os irmãos têm presença significativa nas mídias sociais. Em Vkontakte, a mais popular plataforma de mídia social da Rússia, o irmão mais novo, Dzhokhar, descreve sua visão de mundo como “Islã” e pediu para identificar “a principal coisa na vida”, responde “carreira e dinheiro.” Ele enumera uma série de grupos de afinidade relativas à Chechênia, e enumera um verso do Alcorão, “fazer o bem, porque Deus ama aqueles que fazem o bem.”

O irmão mais velho deixou um registro no YouTube de seus clipes favoritos, que incluía vídeos de rap da Rússia, bem como depoimento de um homem russo ‘étnica nova’ intitulado: “Como aceitou o Islã e se tornou um xiita”, um clipe intitulado “Sete passos para oração bem sucedida “.

Sexta-feira cedo, um exército fortemente armados, policiais ainda estavam passando por casas em Watertown, fora de Boston, um por um , em uma pesquisa para o segundo suspeito. A polícia tinha bloqueado uma área residencial de 20 blocos e pediu aos moradores enfaticamente para ficar dentro de suas casas e não responder às suas portas.

O comissário de polícia de Boston, Ed Davis, disse: “Nós acreditamos que este é um homem que veio aqui para matar pessoas, e precisamos levá-lo sob custódia.”

Com tiros ricocheteando ao redor do bairro tranqüilo, os moradores foram ordenados para irem em seus porões e ficar longe de janelas.

A perseguição começou depois de 10 horas quinta-feira quando dois homens roubaram um 7/11, perto da Praça Central, em Cambridge. Uma câmera de segurança captou um homem identificado como um dos suspeitos, vestindo um moletom cinza.

Cerca das 10:30, a polícia recebeu informações de que um oficial de segurança do campus do MIT foi baleado, enquanto ele estava sentado em seu carro da polícia. Ele foi encontrado com vários ferimentos de bala, de acordo com um comunicado emitido pela atuação Middlesex District Attorney, Michael Pelgro, Cambridge, comissário de polícia Robert Haas, e o MIT O chefe da polícia, John DiFava. O policial foi levado para o Hospital Geral de Massachusetts, onde foi declarado morto.

Fonte The New York Time
Tradução Rita Schlicht

Novas notícias sobre Boston…

Image

Uma amiga que têm a sua filha na Universidade MIT em Boston me disse minutos atrás, que está uma loucura em Boston e faz pouco tempo que houve mais tiros e até granadas em Watertown. Um pouco distante da MIT, mas todo o campus está em alerta e ninguém, nenhum estudante pode mover se do lugar. Uma loucura!!! disse minha amiga Claudia Lima.
Atiraram em outro policial agora mesmo. e estão dizendo que há muitos tiros, um dos suspeitos foi morto.
Rita Schlicht

Começou em Lima capital do Perú a reunião da Unasul.

Image

O assunto principal da reunião são as eleições na Venezuela, após as quais o chavista Nicolás Maduro foi declarado oficialmente como o vencedor. Mas, a oposição liderada por Henrique Capriles não reconhece o resultado oficial e exige uma recontagem de votos.

A reunião extraordinária de chefes de Estado da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), convocada para debater sobre as eleições na Venezuela, começou na noite desta quinta-feira em Lima com a presença do ” presidente eleito venezuelano”, Nicolás Maduro.

Esta reunião conta com a participação dos líderes da Argentina, Cristina Kirchner; Uruguai, José Mujica; Brasil, Dilma Rousseff; Colômbia, Juan Manuel Santos; Chile, Sebastián Piñera; e Bolívia, Evo Morales, além de Maduro e do anfitrião peruano, Ollanta Humala. Infelizmente o presidente do Equador, Rafael Correa, não está presente porque se encontra em viagem na Europa, mas enviou como seu representante o vice-presidente Jorge Glass.

Diversos incidentes ocorridos após as eleições, pelo menos oito pessoas morreram em Caracas e as manifestações se transferiram a Lima, onde venezuelanos seguidores de Capriles e peruanos simpatizantes de Maduro se expressaram nesta quinta-feira contra e a favor do resultado oficial das eleições do último domingo.

O ministro das Relações Exteriores do Peru, Rafael Roncagliolo, disse na quarta-feira que os países da Unasul reconheceram a vitória de Nicolás Maduro mas acreditam ser necessário analisar a situação.

confirmou que os líderes da Unasul se reunirão com “Uma agenda aberta se fará junto aos líderes da Unasul “, disse Rafael Roncagliolo dos fatos na Venezuela.

Haverá um pronunciamento para o público  das conclusões após a reunião.

Rita Schlicht

fontes de pesquisa: Noticias uol, Veja abril, Unasul.gov…